Ir para conteúdo


Foto

[Bkg] Irma Noel


  • Por favor, faça o login para responder
Não há respostas para este tópico

#1 BoBzin

BoBzin

    Aprendiz

  • Membros
  • 447 posts
    • Tempo Online: 18d 18h 31m 43s
0
Neutro
  • Sexo:Masculino

Postado 13 April 2018 - 13:27 PM

Nome: Irma Laezmont Noel

Idade: 20 anos

Olhos: Azuis

Cabelos: Ruivos

Cidade natal: Buccaneer's Den

 

                                       UMv2kY2.jpg

 

 

 

Começamos com meu nascimento , meu nascimento é um resultado infeliz da beleza

com a crueldade. Acho que essas palavras definem os meus pais.

 

Falando da minha mãe ela se chamava Fwargda Anzelum sua beleza sua pele beges e maravilhosa

como a minha era dona de uma mina de safiras.Sim, safiras! belezissimas joias que recletiam 

a cor azul de um oceano escupida em pedrinhas pequenas e maravilhosas!

 

Minha Mãe Vivia na ilha Buccaneer's Den , uma cidade infeliz de beleza e famosa por toda crueldade ocorrida por volta dessa

ilha.

 

Tudo estava bem para minha mãe, ate o fato dela descobrir que sua mina de safiras estava se acabando..

pelo seu subordinado a um analista que lhe informou que sua vida de luxo estava com dias contados alguns

anos secaria a sua vida boa cheia de luxo, mais ela era esperta, não aceitaria a falencia assim tão facil.

 

Ela usou sua beleza e seu charme que não era pouco("tirei isso dela"),e deixou Esferos Laezmont caidinho por sua beleza. E nessa beleza fez uma promessa de grande aquisição , Esferos achou que iria chover safiras no quintal dele por longas,

décadas..

 

E quando minha mãe o escolheu , não sabia o canalha que o duque realmente era..

 

Buccaneer's Den era uma ilha conheçida pela sua crueldade e maldade e seus serviços especiais de espionagens. O duque Esferos era na verdade o lider dos Sinsui , conhecidos como Guerreiros Das Sombras. Essa elite faz o trabalho sujo da cidade. Hábeis , mortais e silencisos, eles também são especialistas em tortutas. Esferos amava torturas , o maldito era um monstro.E, também o meu pai...

 

Quando as minas secaram,poucos anos depois, eu já havia nascido, em Buccaneer's Den é extremamento comum desafazer os casamentos, o duque se sentiu tentado... mais não podia. Afinal, ele tinha uma imagem de sucesso a passar para alta sociedade parece que a hipocrisia é uma coisa que os reinos têm em comum...

 

Duque Esferos - o Severo, como lhe chamavam - era alto,forte, e tinha uma armadura toda negra com listras brancas. Ele era mestre em encontrar fraquezas, físicas e mentais, em todas as raças, impiedoso até último grau, tinha total prazer em prolongar o sofrmento de seus prisioneiros o máximo possivel. Meu pai não era , exatamente , a pessoa mais amorosa do mundo.

 

Ele e meu tio, Yazil Laezmont inventaram uma centena de máquinas, todas especializadas em arrancar gritos, triturar ossos, decepar membros e toda sorte de crueldade que alguém pode imaginar. Aqueles dois me enojavam mais do que tudo na vida. Desce criança, sempre tive vergonha de carregar o Nome Laezmont.

 

O que foi muito problemático e me rendeu uma série de surras. E não eram surras comuns,óbvio. Digamos que,vez ou outra, meu pai testava aquelas máquinas em mim.Eu fui criada na base do medo, terror, e um autoritarismo sem limites. 'Liberdade' era uma palavra que não existia no mue vocabulário.

 

So para vocês terem um melhor noção das expectativas nas minhas costas, preciso explicar um pouco mais sobre o meu reinola as exigências para lado feminino são totalmente equivalentes ao masculino.

 

Nossa forma de passar os sobrenomes adiante também é diferentem tem a ver com a 'relevância cultural'.O primogênito, não importa se masculino ou feminino, sempre será o representante da família mais antiga(seja da mãe ou do pai). Quando se casar, é esse o nome que passará adiante, mesmo que seja mulher,isso se seu conjunge não tiver um que seja mais antigo.

 

Em outras palavras, era eu quem deveria passa o legado da família Laezmont adiante. Meu pai, que já era conheçido por severo,foi rigoroso ao extremo na minha criação. Desde cedo, ele me treinou na Arte das Sombras, me ensinando todo tipo de técnica,das legais... ás Mais desumanas...

 

Aprendi a extrair o máximo de meus cinco sentidos até conseguir... Como dizer? Alguns feitos extraordinários. Minha audição é tão boa quanto a dos elfos, consigo enxergar uma agulha num palheiro, mesmo estando no escuro, sei distinguir o cheiro de aço do  de ferro, e por ai vai... já entenderam, né? A maioria dos Sinsui têm sentidos semelhanes, mas eu não. Como futura líder, Precisava ser a melhor de todos.

 

Sei que não pareçe, mais eu sei lutar. Tive que aprender. Ah! se tive! as Artes das Sombras são mortais! sabe como é que me treinavam? Tinhamos uma arena de combates exclusiva. Meu pai me aprisionava lá com todo tipo de criatura selvagem e voltava dias depois para ver se eu tinha sobrevivido. Se eu morresse, segundo o que ele acreditava, não seria digna de passar o nome Laezmont adiante.

 

Depois das feras, treinei com os Guerreiros das Sombras. E não, não era um contra um. Meu pai fazia questão de me expor a, pelo menos, cinco Sinsui ao mesmo tempo- detalhe: fortemente armados. Eu começava a luta de mãos nuas, precisava nocautear um dele para conseguir roubar alguma

espada, se não morria fatiada.

 

A ordem era de MORTE mesmo. Todos os ataques deles seriam fatais se me acertassem - tive que aprimorar minha esquiva na marra... Às vezes, me perguntava se o duque estava me treinando ou tentando me matar.

 

Quando eu não estava sobrevivendo a feras e lutas, precisava estudar línguas e códigos. Afinal, ser um agente secreta exigia que eu conseguisse  criar e resolver criptografias tão facilmente quanto respirar. Por causa disso, muitos testes eram baseados em enigmas.

 

Só para dar um exemplo: após ser obrigada a matar várias feras que queriam me comer viva, dentro de um corredor subterrâneo, precisei resolver  um código matemático para abrir a porta da saída antes que o local dosse inundado com ácido.

 

Ácido. Não podia ser água? Não,meu pai era insano,tinha que ser ácido mesmo. Como especialista sádico na mente, ele confiava que o medo era o maior motivador de todas as raças. Fui obrigada a assimiliar isso também.

 

Estudei as fraquezas dos habitantes dos dozes reinos. Seus costumes e crenças principais , além da biologia de cada um. Tudo para ser a melhor assassina possivel. Ah! e isso que não falei das torturas!

 

Eu odiava minha vida e tudo o que era obrigada a fazer. Mas eu passei a gostar da partes das torturas. Semanalmente, meu pai e meu tio me obrigavam a assistir sessões de espancamentos, desmembramentos, mutilações... O duque tinha dois objetivos: o primeiro era me ensinar técnicas, o segundo.. era mudar  a minha personalidade.

 

Sempre fui... sensível... e portanto, desapropriada para o comando do legado sangrento dos Laezmont. Pareçe que, na minha família, ter compaixão era algum tipo de doença que precisava ser erradicada. Não sei como saí viva da minha infância, com todo aqueles treinamentos mortais. Talvez, no fundo, ele desejasse que eu morresse...

 

Então um certo dia peguei minhas coisas e fugi no meio da noite...,pois eu não queria representar meu sobrenome como meu pai queria me obrigar que eu fosse, sai daquela  ilha com um unico pensamento com todas essas tecnicas e esses conheçimentos que aprendi,com as torturas de meu pai usarei contra ele,e como resto da minha familia que fizeram comigo obrigando eu ser torturada e escravizada e matarei todos eles,e todos que se voltarem contra mim sendo criaturas homens do meu pai querendo me assassinar matarei todos como ele me treinou para ser e farei ele lembrar do meu nome e da pessoa que ele me transformou vou virar a assassina das sombras mais temida de todo universo.

 

                                   

 

 

                                   MBICF6W.jpg

 

 

 

[off]Meu primeiro Bkg não manjo muito kk espero que gostem tentei deixar o mais completo possivel kkk, abraços [/off]

 

 





0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membro(s), 0 visitante(s) e 0 membros anônimo(s)